Dom Eduardo Koaik, bispo emérito de Piracicaba, está internado em estado crítico

Missa_dos_Santos_leos-2009Desde a madrugada do último sábado, 18 de agosto, o bispo emérito da Diocese de Piracicaba (SP), dom Eduardo Koaik, está internado no Hospital Unimed de Piracicaba. Seu estado de saúde é considerado crítico com neoplasia no couro cabeludo e metaplasia de pulmão e hepática.

Acometido por um câncer desde 2007, dom Eduardo é um exemplo de luta pela vida. Passou por quatro intervenções cirúrgicas, centenas de sessões de quimioterapia e de radioterapia. No hospital, dom Eduardo está acompanhado de seus irmãos Elias Koaik e Yvonne Koaik, além de amigos e do padre Kleber Danelon que o acompanha no tratamento médico desde janeiro de 2009.

Dom Fernando Mason, bispo da Diocese de Piracicaba, afirma que dom Eduardo é um valente lutador que não se entregou ao câncer. Uma luta que já dura cinco anos. O bispo emérito, que completou 86 anos na última terça-feira, dia 21 de agosto, foi o terceiro bispo de Piracicaba. Ele tomou posse no dia 28 de fevereiro de 1980 como Bispo Coadjutor com direito à sucessão e Administrador Apostólico “Sede Plena”. Com a renúncia de Dom Aníger em 11 de janeiro de 1984, tornou-se o terceiro Bispo Diocesano de Piracicaba.

Tendo como lema episcopal “Construir na Caridade”, dom Eduardo foi bispo-auxiliar do Rio de Janeiro por seis anos. Transferido para Piracicaba, administrou a diocese por mais de 22 anos, tendo realizado um profícuo trabalho pastoral e social. Construiu os seminários teológico, filosófico e propedêutico, ordenou 34 padres diocesanos e 33 diáconos permanentes. Criou 17 novas paróquias, cinco quase-paróquias e dois santuários marianos.

Entre os muitos trabalhos como bispo, dom Eduardo Koaik presidiu o Regional Sul -1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que compreende as arquidioceses e dioceses do Estado de São Paulo, no período de 1991 a 1995, sucedendo o cardeal dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo. Foi também por duas vezes membro da CEP (Comissão Episcopal de Pastoral, órgão coordenador da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), respondendo, na primeira vez, pelo setor de Comunicação Social e, na segunda, pelo setor dos Leigos, das Comunidades Eclesiais de Base e da Pastoral Universitária.

Presidiu a Caritas, órgão da CNBB responsável pela ação social. Fez parte da comissão de bispos indicados pela CNBB para acompanhar a Renovação Carismática Católica (RCC) e foi membro da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato. Também foi membro do DECOS ( Departamento de Comunicações do Celam – Conselho Episcopal Latino-americano).

No dia 15 de maio de 2002, a Santa Sé aceitou sua renúncia (por ter completado 75 anos), tornando-se bispo emérito, mas continuou governando a diocese como Administrador Apostólico até a posse de seu sucessor, dom Moacyr José Vitti, em 5 de julho do mesmo ano. Terminado seu ministério à frente da diocese, continua residindo em Piracicaba, prestando sua valiosa colaboração. Como bispo emérito, ordenou mais três sacerdotes diocesanos. Continuou a residir no bairro São Dimas e na atuação como vigário na Paróquia Santa Cruz e São Dimas.

Dom Eduardo Koaik  – Resumo

• 21 de agosto de 1926 – nasceu em Manaus, filho de Miled José Koaik e Helena Elias Koaik.
• 8 de abril de 1950 – ordenado sacerdote, em Roma
• 22 de outubro de 1973 – nomeado bispo de Noba e bispo-auxiliar do Rio de Janeiro pelo Papa Paulo VI
• 6 de janeiro de 1974 – ordenado bispo pelo Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, arcebispo do Rio de Janeiro
• 7 de dezembro de 1979 – transferido para Piracicaba pelo Papa João Paulo II
• 28 de fevereiro de 1980 – tomou posse como Bispo Coadjutor de Dom Aníger e Administrador Apostólico “Sede Plena”
• 11 de janeiro de 1984 – com a renúncia de Dom Aníger, tornou-se o 3º bispo diocesano de Piracicaba
• 15 de maio de 2002 – tornou-se bispo emérito de Piracicaba, continuando no governo da diocese como Administrador Apostólico
• 5 de julho de 2002 – encerrou seu ministério episcopal à frente da diocese.