Jovem da Pastoral da Juventude de Coxim, participa da Cúpula dos Povos

Jovem da Pastoral da Juventude de Coxim, participa da Cúpula dos Povos, evento paralelo a Conferência internacional sobre desenvolvimento sustentável, Rio+20.

A Cúpula dos Povos na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental é um evento organizado pela sociedade civil global que aconteceu entre os dias 15 e 23 de junho no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro paralelamente à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, propriamente dito a Rio+20

O jovem estudante e Secretário Diocesano da Pastoral da Juventude Keoma Mateus Bezerrafoi convidado pelo Comitê Sul Matogrossense para a Rio+20 para representar o nosso estado na Cúpula.

O sistema de produção capitalista, que é um sistema de dominação e opressão, que por meio de sua força política e econômica, concentrando o poder e riqueza, mantém o modelo de desenvolvimento econômico atual promovendo as populações de todo o mundo a exclusão das práticas e saberes tradicionais do uso da terra, sendo ela a causa da pobreza e exploração das mulheres, jovens e crianças, populações indígenas, negras, quilombolas, residentes nas periferias urbanas e outros grupos vulneráveis e minoritários no mundo.

Vendo os impactos que o capitalismo está causando ao planeta e a vida, com a extração de recursos naturais de modo desenfreado, aumentando a produção e fazendo com que as pessoas tenham a cobiça de consumir cada vez mais é de extrema importância toda a sociedade se unir e debater todas as ideias colocadas por este sistema econômico que tanto é falho e omisso, que tanto causa exploração e desigualdade social no mundo.  Em rodas de conversa com os meus novos amigos da Pastoral da Juventude de todo o país, que se encontravam na Cúpula dos Povos, debatemos a ideia de que para construirmos uma sociedade justa e igualitária a todos, devemos nos unir a outras vozes fortalecendo as relações humanas para discutir este modelo insustentável, e através das mãos jovens, que tanto sonham com o Reino de Deus, sonham com uma Terra sem males, devemos apresentar ações práticas, mostrando ao mundo que queremos construir a uma sociedade fraterna a todos os povos, construindo assim a Civilização do Amor.

Keoma Mateus Bezerra,

Secretário Diocesano da Pastoral da Juventude