Evangelho de Domingo

Nascimento de São João Batista

A PALAVRA – Evangelho: Lucas 1, 57-66.80

Naquele tempo, 57Completando-se para Isabel o tempo de dar à luz, teve um filho. 58Os seus vizinhos e parentes souberam que o Senhor lhe manifestara a sua misericórdia, e congratulavam-se com ela. 59No oitavo dia, foram circuncidar o menino e o queriam chamar pelo nome de seu pai, Zacarias. 60Mas sua mãe interveio: Não, disse ela, ele se chamará João. 61Replicaram-lhe: Não há ninguém na tua família que se chame por este nome. 62E perguntavam por acenos ao seu pai como queria que se chamasse. 63Ele, pedindo uma tabuinha, escreveu nela as palavras: João é o seu nome. Todos ficaram pasmados. 64E logo se lhe abriu a boca e soltou-se-lhe a língua e ele falou, bendizendo a Deus. 65O temor apoderou-se de todos os seus vizinhos; o fato divulgou-se por todas as montanhas da Judéia. 66Todos os que o ouviam conservavam-no no coração, dizendo: Que será este menino? Porque a mão do Senhor estava com ele. 80O menino foi crescendo e fortificava-se em espírito, e viveu nos desertos até o dia em que se apresentou diante de Israel. – Palavra da salvação.

A MENSAGEM

O nome de João (Deus tem piedade) é o sinal que evidencia o projeto de Deus sobre a criança e sua missão.

O cântico de Zacarias é um louvor ao Deus misericordioso que realiza, através de Jesus, a “visita” aos pobres. Em Jesus se manifesta a força que liberta dos inimigos e do medo, formando um povo santo diante de Deus e justo diante dos homens. Desse modo, manifesta-se a luz que ilumina a condição do povo, abrindo uma história nova, que se encaminha para a Paz, isto é, a plenitude da vida.

“João é seu nome”

Celebramos hoje a festa do nascimento de JOÃO BATISTA: É o único santo que a Liturgia comemora também o nascimento (geralmente só o dia da morte…)

O Evangelho narra o nascimento do Precursor. ( Lc 1,57-66.80) Mostra que com João iniciou uma nova era: Terminou o tempo das promessas, da expectativa e iniciou o tempo da realização. Deus cumpriu a sua palavra.

O texto tem três partes:

1. Fala do NASCIMENTO do Batista: Mãe estéril e Pai mudo: Do silêncio de Zacarias nasce a última palavra profética da antiga aliança, da esterilidade de Isabel nasce o anunciador da vida perfeita oferecida por Deus ao seu povo, Jesus Cristo.

O seio de Isabel representa a condição da humanidade: sem vida, sem esperança, sem futuro. Mas Deus intervém do alto para lhe dar vida e lhe mostra como é grande o seu poder e gratuito o seu amor, tornando fecunda uma mulher estéril: É uma explosão de ALEGRIA, que envolve a todos, os pais, os vizinhos… É sempre assim quando Deus entra na historio do homem.

2. O NOME de João: Entre os antigos, o nome era importante: indicava a pessoa, as suas qualidades, o seu destino… (Zacarias = Deus se recordou… João = O senhor manifestou sua bondade…)

3. Resumo da INFÂNCIA de João: O Deserto, para Israel, relembrava o tempo decisivo da história… No deserto, João Batista passa sua adolescência e juventude, preparando-se para a Missão: “Veio a palavra do Senhor no deserto a João”.

Exemplo de João: 1. Profunda HUMILDADE: aceita ser relegado a segundo plano para que Jesus apareça melhor: “Agora convém que ele cresça e que eu diminua…” Essa atitude de João Batista questiona: Anunciadores… que se colocam acima da mensagem… Grupos… que se colocam acima do conjunto da Igreja… Pessoas que se ligam ou desligam da Igreja, por causa daquele agente que as cativou ou as decepcionou… e Jesus fica de lado… Comunidades que zelam nas construções, e não na Evangelização.

2. Viveu no DESERTO muito tempo (no silêncio, oração, sobriedade) antes de se apresentar diante do povo para transmitir seu anúncio. Anunciar Jesus é Missão muito séria, não se improvisa: quem evangeliza tem que se preparar com estudo e oração. É o mínimo que podemos fazer… A Liturgia dá o tom da grandeza de João Batista… “Proclamamos as maravilhas que operastes em São João Batista, precursor de vosso Filho e Senhor nosso, consagrado como o maior entre os nascidos de mulher. Foi o único dos profetas que mostrou o Cordeiro redentor. Batizou o próprio autor do batismo… e derramando seu sangue, mereceu dar o perfeito testemunho de Cristo”. (Prefácio) A procura de um NOME… Com o Lema: “Migração e Saúde: conquistar direitos é defender a vida”, recordamos hoje no Brasil o “Dia do Migrante”, que precisa deixar sua terra Natal e sair pelo mundo à procura de trabalho e de casa para morar, à procura de um NOME… Eles precisam da “Boa Nova” de uma vida melhor, sem precisar acampar ao longo das estradas ou buscar refúgio nas periferias. Os Migrantes, que estão a caminho, devem sentir uma mão amiga, acolhedora e protetora, “eu era migrante e vocês me acolheram” (Mt 25, 35). “Senhor, concedei-nos a graça de sabermos acolher o migrante,

orientá-lo para que tenha uma saúde digna e uma vida em plenitude”.Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 24.06.2012