- Diocese de Coxim - http://diocesedecoxim.org.br -

Boletim CNBB 04/04 Falece Efraim Krevey, Propostas Agrárias.

Falece dom Efraim Basílio Krevey


Na madrugada de hoje, dia 3 de abril, por volta de 1h, morreu o eparca emérito dom Efraim Basílio Krevey. Seu corpo está sendo velado na Catedral São João Batista, em Curitiba (PR). O bispo que em sua larga trajetória se distinguiu principalmente pelo seu perfil zeloso e empreendedor, deixa um grande exemplo e legado apostólico.

Dom Efraim sempre se destacou pela característica de ser um incansável incentivador do crescimento das eparquias no Brasil. Em 1972, iniciou a construção da sede eparquial, em Curitiba (PR), e esteve à frente de outras obras de caráter social, como a Casa de Repouso para Idosos Nossa Senhora do Amparo, no município de Marcelino Ramos (RS).

O eparca emérito também foi um grande incentivador da cultura, responsável pela construção do Centro Religioso-Cultural Ucraniano Poltava, em Curitiba (PR), além de participar, ativamente, de empreendimentos como os congressos dos profissionais e da juventude ucraniana no Brasil.

O bispo nasceu no dia 12 de dezembro de 1928, na colônia Saltinho, em Ivaí (PR), onde cursou os estudos primários. Em 1940, ingressou no Seminário São José, em Prudentópolis (PR), e posteriormente, em 1943, ingressou no noviciado dos Padres Basilianos, também, em Prudentópolis.

Dom Efraim Basílio Krevey tornou-se o segundo Eparca no dia 10 de maio de 1978, cargo que ele exerceu até o dia 13 de dezembro de 2006. Foi nomeado bispo coadjutor pelo papa João Paulo II, no dia 10 de dezembro de 2003, e foi ordenado bispo no dia 21 de março de 2004, em Curitiba.

Filósofo e Teólogo, por formação, atuou como reitor e professor no Seminário São José (RS). Em Prudentópolis, foi superior do mosteiro São Josafat e mestre do noviciado das Irmãs Maria Imaculada. Em 1951, no Colégio de São Josafat, em Roma, recebeu pelas mãos do bispo dom Ivan Butchko, a ordem diaconal, e em 1951 foi ordenado sacerdote, na igreja de São Sérgio e Bakcha, Roma.

Em 13 de fevereiro de 1972, em Roma, recebe do Santo Padre, o papa Paulo VI a ordenação de bispo, na Basílica de São Pedro, e em 1978 torna-se Eparca da Eparquia São João Batista, em Curitiba. Tornou-se bispo emérito em 2006, quando dom Volodemer Koubetch, é nomeado eparca.

As duas principais cerimônias de exéquias acontecem nos dias 3 e 4 de abril. O sepultamento será realizado na cripta da na Catedral São João Batista, em Curitiba (PR).

Grupo trabalha proposta de documento sobre questões agrárias

A Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz promove nesta segunda-feria, 02/04, na sede da CNBB a reunião de um grupo de especialistas que está revisando o texto de estudo sobre a questão agrária. O trabalho é coordenado pelo presidente da comissão, dom Guilherme Werlang, com o apoio do presidente da Comissão Pastoral da Terra, dom Enemésio Angelo Lazzaris, e do arcebispo de Feira de Santana, dom Itamar Vian.
Também participam representantes de movimentos sociais ligados à questão agrária. De acordo com dom Itamar, este grupo trabalha desde 2008 neste texto, que foi aprovado para estudos pelos bispos na Assembleia Geral de 2010. “Agora, a presidência da CNBB quer que seja nomeada uma comissão para que este texto de estudos possa, talvez em 2013, ser aprovado como documento oficial dos bispos do Brasil”.
A equipe que vai elaborar a versão definitiva do documento ainda deverá ser nomeada. “O grupo que está reunido em Brasília tenta indicar ou sugerir nomes para esta equipe”, explica dom Itamar. Ele explica que já na próxima Assembleia dos Bispos, marcada para os dias 17 a 26 de abril em Aparecida/SP, será feita uma apresentação breve do texto que está em estudos, aguardando as contribuições das dioceses.
O último Documento da Conferência sobre este assunto foi publicado em 1980 (Doc. 17 – Igreja e Problemas da Terra). “Há uma expectativa muito grande por parte dos agricultores, dos trabalhadores e lideranças em vista daquilo que um novo documento como esse pode provocar: um estudo e um debate nacional sobre questões tão importantes a reforma agrária, o meio ambiente, e os quilombolas, por exemplo”, concluiu o bispo.