Marcos 1, 21-28 “O Profeta”

>?php>

A PALAVRA  –

Evangelho: Marcos 1, 21-28

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos – Naquele tempo, 21Dirigiram-se para Cafarnaum. E já no dia de sábado, Jesus entrou na sinagoga e pôs-se a ensinar. 22Maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas. 23Ora, na sinagoga deles achava-se um homem possesso de um espírito imundo, que gritou: 24“Que tens tu conosco, Jesus de Nazaré? Vieste perder-nos? Sei quem és: o Santo de Deus! 25Mas Jesus intimou-o, dizendo: “Cala-te, sai deste homem!” 26O espírito imundo agitou-o violentamente e, dando um grande grito, saiu. 27Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros: “Que é isto? Eis um ensinamento novo, e feito com autoridade; além disso, ele manda até nos espíritos imundos e lhe obedecem!” 28A sua fama divulgou-se logo por todos os arredores da Galiléia. – Palavra da salvação. Glória, a Vós, Senhor!

A MENSAGEM

O profetismo foi uma experiência muito forte da Bíblia. Os profetas são homens de Deus,

que surgem nos grandes momentos de crise e de transição. Eles sabem ler os sinais dos tempos e, graças à sua sintonia com Deus, podem animar a fé do povo e anunciar novos caminhos para o futuro. O profeta é suscitado por Deus e caminha com o povo para Deus. Deus é o ponto de partida e o ponto de chegada… PROFETA é alguém que Deus ESCOLHE, CHAMA e ENVIA para ser a sua “Palavra” viva no meio do Povo.

As leituras bíblicas desse domingo nos falam do carisma profético:

A 1a leitura anuncia a vinda de um grande PROFETA que falará aos homens em nome de Deus. (Dt 18,15-20) MOISÉS é apresentado como modelo e exemplo do verdadeiro Profeta: Deus está na origem e no centro da sua vocação e a sua mensagem é sempre o que Deus lhe ordena. Moisés deu a conhecer a vontade divina contida na lei do Sinai. Ele é o intérprete da Lei, o intermediário entre Deus e os homens, que vigia e promove sempre a fidelidade à Aliança. – Moisés também conscientizou o povo da situação de opressão em que vivia, libertou esse povo e caminhou com ele rumo à terra Prometida. Daí surgem duas RESPONSABILIDADES:

da parte do Povo: ESCUTAR o profeta: “Eu pedirei contas a quem não escutar…”

da parte do Profeta: Ser fiel ao que Deus mandou FALAR… “Porei minhas palavras em sua boca… Se tiver a ousadia de dizer o que não mandei esse profeta deverá morrer…”

Na 2ª Leitura, Paulo fala como um profeta, orientando a comunidade de Corinto a se libertar do excesso de preocupações cotidianas, que impedem de servir ao Senhor com dedicação. (1Cor 7,32-35)

O Evangelho revela que o Profeta esperado é JESUS. (Mc 1,21-28) Num sábado, Jesus vai à sinagoga de Cafarnaum, acompanhado pelos discípulos que acabara de convocar e

revela-se como o Messias-Libertador. Realiza o 1o milagre narrado por Marcos e “começa a ensinar…” Não narra o conteúdo do ensinamento, mas o efeito da pregação: “Todos se maravilhavam… O que é isso? Um ensinamento NOVO dado com autoridade… Até os espíritos impuros lhes obedecem…” Ele tem um jeito novo de ensinar… Não comunica a palavra de Deus como os rabinos do seu tempo. A sua mensagem é “nova” e é anunciada “com autoridade”: É a Palavra definitiva de Deus. A “autoridade” se revela nas Palavras de Jesus e nas Ações concretas, pois liberta o homem das forças negativas que o dominam.

Diante das palavras e dos milagres de Jesus, o povo percebe que Ele é o profeta prometido por Moisés: E a fama de Jesus se espalha logo por toda parte… “Ele falava como quem tem AUTORIDADE…”

As leituras bíblicas nos lembram duas Verdades: A nossa relação com Jesus é fundamentalmente uma relação de “escuta”: devemos escutar a palavra de Jesus Profeta e pô-la em prática; Lembra-nos que o cristão também é profeta por vocação e está chamado, com a sua palavra e com suas obras, a revelar os caminhos de Deus e a condenar tudo aquilo que se opõe ao mistério do reino de vida proclamado por Jesus. “Ele falava com autoridade” – Vivemos num mundo de muitas falas: Fala o rádio, fala a TV, falam os políticos, fala a Escola, fala o Sindicato, fala a Religião, falam tantas seitas… Quantas palavras vazias… “sem autoridade…”

O que há de verdade, por trás de tantas FALAS? Será que elas libertam ou oprimem as pessoas? Mas há uma palavra muito mais forte e poderosa do que todas: É a Palavra de Jesus: Ela LIBERTA, TRANSFORMA, DÁ VIDA

Como falar com autoridade?

Os padres têm a missão de anunciar a Palavra, com poder de Salvação… Devem falar e ser: Fiéis… Autênticos… Libertadores.

Os pais angustiados afirmam: “Digo sempre para o filho… mas não adianta… ele não me escuta…” Será que falam como quem tem AUTORIDADE?

Como falar com autoridade um professor, uma autoridade civil, os responsáveis pelos serviços em nossas comunidades?

A Autoridade não brota das palavras… não se impõe… mas se conquista com uma autêntica vivência humana e cristã… Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 29.01.2012