XXVI Assembléia Diocesana de Pastoral – 2004

Deu-se início a 26 assembléia Diocesana

Começou às 20 hs com uma oração conduzida pelo seminarista André Márcio. Uma leitura bíblica (Mt 11,7-10 eis que envio meu mensageiro a tua frente) proferida por uma participante da mesma.
Em seguida o bispo toma a palavra faz uma reflexão sobre a leitura. Pede a intercessão de São José rezando a oração a São José, em seguida o hino da Diocese de Coxim.
Leandro conduz a apresentação das paróquias participantes da Assembléia. Em primeiro lugar uma acolhida geral, dando início com Costa Rica, Paraíso, Figueirão, Camapuã, Rio Negro, São Gabriel, Rio Verde, São José (Catedral), São Francisco, Perpétuo Socorro, Pedro Gomes, Alcinópolis e finalizando com Sonora. Pe. Lindomar assessor da mesma, grupo de animação, Dom Antonino.
Leandro explica o horário da casa, e quem quiser tomar a palavra deverá deixar comunicado numa folha que se encontra a disposição de todos.
Antes de passar a palavra a Dom Antonino, Dra Rosangela conduz uma dinâmica.
Dom Antonino faz uma acolhida a todos, e faz algumas explicações sobre algumas construções que estão sendo realizadas na casa de encontros. Faz uma retrospectiva sobre o que foi assumido na assembléia passada e peque que as pessoas terminem os projetos iniciados. Diz que a igreja deve assumir uma evangelização missionária, e não ficar preocupada apenas consigo mesma. Faz uma observação sobre o editorial de fevereiro onde questiona “como assumir uma pastoral mais acolhedora, e que devemos ser uma igreja mais adulta, acolhendo o plano realizado no ano anterior, não acolher o plano é não assumir o reino de deus. Em abril sobre o ver Jesus. Em junho sobre o espírito que nos impulsiona, pois as 99 ovelhas estão fora. Julho sobre a crisma, pois apenas convidar não é a solução, mas ter o que oferecer a estes adolescentes e jovens que vem para a catequese. Em agosto sobre a pastoral vocacional. Outubro sobre a missão, o mês missionário. O projeto nacional fala sobre a mística missionária.
Alexandre conduz uma verificação dos questionários enviados a todas as paróquias, à luz do projeto queremos ver Jesus caminho verdade e vida. Em sintonia com o plano diocesano qual a necessidade de cada paróquia, e suas organizações locais.

20/11
Leandro fez uma apresentação do currículo do assessor e cantamos os parabéns, pois hoje seu aniversário. Passe-se a palavra a assessor.
Faz uma breve contextualização do projeto nacional de evangelização. Que antes de ser lançado foi feito as diretrizes que compreende os anos de 2003/2006.
Faz um breve esboço que liga as diretrizes ao projeto de evangelização, pois os mesmos não estão cada um direcionado para um lado, mas caminham juntos para a edificação do Reino. E sua linguagem é uma continuação, e não estão desconexas, mas sim interligadas.
Toda a igreja mesmo no seu campo de pastoral ela deve evangelizar, pois essa é sua missão. E os projetos nacionais – Rumo ao Novo Milênio, Ser Igreja no Novo Milênio e Queremos Ver Jesus – estão voltados para tal missão. Uma das funções do projeto é devolver a esperança das pessoas na ressurreição, pois o medo que os discípulos superaram, em relação à morte, tinha algo de concreto, pois ninguém supera alguma coisa se não houver esta certeza do que será o seu ponto final – ressurreição.
Sobre a questão da religiosidade, ele fez uma retrospectiva histórica onde mostra que a queda ocorrida num período de 100 anos se deu apenas em 10 anos. Porém a crença em Cristo tenha ficado cada vez mais forte e expansiva. Os projetos saíram do esquema ver-julgar-agir para o conhecer. O número de igrejas e crenças em outras denominações tem aumentado muito. Mesmo assim o número de cristãos católicos tem aumentado, mas não em proporção ao aumento da população. O individualismo da crença também tem ficado cada vez mais presente na relação pessoa/divindade, não mais precisando de uma igreja para com uma comunidade chegar a essa divindade a que se acredita – DEUS – menos ainda da pessoa do outro.
Na explanação sobre o Projeto Queremos Ver Jesus, Caminho, Verdade e Vida – é colocado diversos aspectos sobre a igreja e sua tarefa – ser missionária – levando a todos o anúncio ma mensagem de Cristo. A igreja deve ser missionária, levando as famílias a entender melhor o que é pedido por aquele que anima toda a vida eclesial, tendo no centro o Reino de Deus. É preciso que as famílias percebam a necessidade de se cultivar as vocações em seu seio. Para que a evangelização missionária possa realmente ter seus frutos nos mais longínquos horizontes da terra. Estamos aqui para servir aquele que hoje se faz presente e real em nosso meio, na pessoa daquele que não conhece ou não está plenamente confiante no Cristo, Filho de Deus.
Dom Antonino: a partir projeto nacional questionou sobre os números apontados pelo CERIS sobre os que não participam que são uma preocupação, mas também sobre os; 73% que se declaram católicos, mas que não participam, falou que o projeto quer dar 1 ANIMO AS LIDERANÇAS católicas que já estão nas pastorais; segundo 2 ACORDAR OS ACOMODADOS quer alcançar as pessoas que só participam das missas, desinstala-los, sacudir os acomodados, Deus não precisa de nossa participação, nós precisamos de Deus; terceiro 3 PROCURAR OS AFASTADOS ir ao encontro, concretamente nossa diocese assumiu esse compromisso, pela pastoral da acolhida e da visitação; em algumas paróquias acontecerão as missões populares, mas é preciso que isso se torne um serviço permanente em nossa diocese. Falou que na parte da tarde iremos ler o nosso plano de Pastoral.
No período vespertino Leandro organizou a assembléia em grupos para uma avaliação de como foi o desenvolvimento do Plano diocesano no decorrer do ano, o que foi atingido e o que faltou melhor trabalhar. Mas antes de enviar os grupos ele leu um telegrama enviado pelo Pe. João Alves que se encontra em retiro “DESEJO UMA ASSEMBLÉIA DE ESTUDO, ENCONTRO E ORAÇÃO, SAUDAÇÕES A TODOS E ATÉ BREVE. PE JOÃO ALVES”.

Relatório dos grupos:
Grupo I
Grupo de Famílias
Não há um trabalho de espontaneidade, quando funciona é de uma maneira forçada. Em Pedro Gomes o Crusilho se responsabilizou dividiu-se em sete grupos e deslocou-se para as comunidades. O grupo percebeu que funciona melhor as campanhas de fraternidade e natal. Não se conseguiu formar novas lideranças. Os leigos estão sobrecarregados.
Pastoral da Visitação
Tem que continuar a dar atenção em especial, pois os resultados serão muito bom. Faltam leigos com esta vocação.
O CAEP e CPP funcionam em todas as paróquias, há deficiência de participação das comunidades. Tem que implantar o CPP.
A Pastoral Familiar funciona em São Gabriel e Catedral, estando sem Pedro Gomes, São Francisco e Figueirão.
O dizimo funciona, mas ainda falta uma maior conscientização.

Grupo II
Prioridades para o ano de 2005

§  Organizar os grupos de famílias: apenas duas paróquias organizaram os grupos de famílias – Coxim e São Gabriel

§  Não houve a implantação efetiva da Pastoral da Visitação pois precisa do envolvimento de novas lideranças.

§  O dizimo não foi trabalhado no sentido espiritual e pastoral.

Grupo III

§  Todas as paróquias, estão tentando acompanhar o projeto; porem, há dificuldades de reunir toda a família (falta a presença do homem, devido a dificuldade de horário); falta de interesse?.

§  A maioria das paróquias, estão em nível de organização de formação.

§  No geral, CPPs e CAEPs, estão funcionando; a Pastoral familiar, não está implantada em todas as paróquias, somente em algumas; em algumas paróquias sim e outras, ainda não estão trabalhando no sentido espiritual.

Grupo IV
1 – Organizar os grupos de famílias. Está funcionando, não como se requer na prioridade, mas funciona.
2 – Implantar a Pastoral da Visitação. Algumas paróquias já realizaram todos os segmentos desta prioridade e algumas estão começando, mas se encontra dificuldade em encontrar pessoas novas.
3 – Compromissos concretos e permanentes:

§  fazer funcionar os CPPs e CAEPs. Todas as paróquias estão funcionando.

§  Pastoral familiar – na maioria das paróquias não tem esse grupo especificamente.

§  Dizimo – todas as comunidades funcionam, mas anda é preciso fazer uma conscientização.

Melhoramentos

§  Aprimorar estas prioridades para os anos seguintes, com formação nas paróquias, porque a movimentação de uma cidade para outra, dificulta esses encontros.

§  Trabalhar mais com os jovens e a catequese, porque eles serão os leigos de amanhã.

§  A avaliação diocesana ser duas vezes no ano, para detectar as dificuldades com mais tempo e trabalha-los no decorrer do ano.

Grupo V
1 – Grupo de Famílias: sistematizar a implantação dos grupos de família nas paróquias onde os grupos existem de forma ainda espontânea.
2 – Pastoral da Visitação: as paróquias que já implantaram continuar ampliando o número de participantes e implantar onde não foi implantado ainda.
Compromissos concretos e permanentes – liberar um coordenador de pastoral para a diocese.

Grupo VI
1 – Nem todas as paróquias está funcionando. Existem animadores em todas as paróquias mais ou menos estão investido.
2 – Esta pastoral onde já foi iniciada funciona. Na maioria das paróquias está em formação.
a) CPPs e CAEPs – Ok
b) Na maioria das paróquias estão implantando
c) Dizimo está implantado. É uma decisão pessoal.

Grupo VII
A Pastoral da visitação: ainda há uma certa resistência pela falta de pessoas de pessoas para compor as equipes. Precisa de mais preparação na formação; Algumas  equipes visitaram usando a metodologia da RCC, como no caso de Camapuã; Para o ano de 2005, poderia ser criado o armazém da partilha. Uma missa por mês aos fiéis levariam um quilo de alimento, que será entregue a equipe de visitação para distribuição ao mais necessitado.
Grupo de Família: na maioria das paróquias não existe grupos de família. Acompanhando o PNE-QVJ.
Pastoral Familiar: ainda não é uma realidade em todas as paróquias.
Para 2005 – formação da Pastoral Familiar em nível paroquial. Será de suma importância, tanto na catequese como na pastoral da visitação.
A pastoral da visitação deveria ser iniciada pelas famílias dos catequisandos.
Os CAEPs estão funcionando.

Grupo VIII
1 – Grupos de Famílias
funciona – PNE-QVJ
grupos permanentes só em Costa Rica. Nas demais paróquias – só acontece no Advento(Natal) e Quaresma (CF).
Faltou compromisso das paróquias e formação dos animadores.
2 – Pastoral da Visitação
implantação de fato      – Rio Verde
– São Gabriel
Para a terceira idade com pastoral da criança – Sonora
– Costa Rica
– Coxim
Nas demais paróquias só receberam a visita com palestras, do coordenador diocesano. Precisaria mais formação para tal. Achamos que deve continuar como prioridade.
Compromissos

§  CPPs – funciona em todas; CAEPs também;

§  Equipe de família – algumas paróquias não acontece; São Francisco – Coxim – início dos setores;

§  Funciona – Camapuã – São Francisco – Sonora.

Grupo IX
– Paróquia Nossa Senhor Auxiliadora – Rio Verde de Mt.
1 – Grupos de família – não – pela participação com a Pastoral da Visitação – necessidade da paróquia.
2 – Curso de Formação (P. Visitação)
– envio
– já está acontecendo as visitações
3 – CPP – funciona mensalmente – CAEP – funciona mensalmente
4 – Pastoral Familiar – não tem
Pastoral do Dizimo – funciona
Paróquia São Sebastião e São João Maria Vianey – Paraíso

§  formado e divido por setor

§  enconto

§  conteúdo PNE-QVJ

§  lideres com formação

2- Pastoral visitação – não foi implantada por falta de pessoal
3- CPP – funciona
4- CAEP – funciona
Problema geral – recursos humanos e financeiros
5- Pastoral familiar – não tem
Pastoral do dízimo – funciona na medida do possível
São Francisco das Chagas
– Grupos de família – iniciou-se
– Pastoral da visitação – aconteceu, com formação de lideranças
Divisão da paróquia por setores
– CPP – está funcionando
– CAEP – nada a acrescentar
– Pastoral familiar – não tem
– Pastoral do dízimo – só há na matriz.

Grupo X
1- Em algumas paróquias houve os encontros do PQVJ? Mas os grupos não estão formados como Pastoral familiar. Com exceção da paróquia de Costa Rica e Coxim.
2- Em todas as paróquias houve encontros de preparação de membros para a pastoral da visitação, mas ainda não está funcionando como deveria.
a) CPP e CAEPs – na maioria das paróquias os conselhos se reúnem normalmente. Algumas ainda encontram dificuldades para se reunirem conforme previsto.
b) Dízimo – nas paróquias está funcionando regularmente.

RELATÓRIO DAS PASTORAIS
Apostolado da Oração:
Neste ano de 2004, iniciamos com muita fé os nossos compromissos que foram realizados, para o nosso crescimento espiritual e bom entrosamento dos participantes. E dentro da caminhada proposta pela CNBB, o projeto de evangelização da igreja no Brasil, com o tema Queremos ver Jesus, Caminho Verdade e Vida, que Jesus Cristo nos permita nas reflexões vivenciar com muito amor a nossa fé nos encontros familiares.
No primeiro semestre, na primeira reunião realizada no dia 13 de março de 2004, na comunidade Nossa Senhora Aparecida, Paróquia de São Gabriel, tratamos os assuntos referentes à concentração diocesana do AO, Retiro no Emaús e Boletim Entre Irmãos, marcada a data da concentração desde a assembléia diocesana de 2003 nesta reunião, juntamente com as coordenadoras dos grupos da paróquia de São Gabriel foi alterada a data da festa do Sagrado Coração de 18 de junho para 20 de junho de 2004. Os quatro grupos da paróquia de São Gabriel não mediram esforços para a organização desta comemoração. Recepcionou a todos muito bem e nos proporcionou momentos fortes na fé com a participação de nove paróquias:

São Gabriel Arcanjo                                       São Gabriel do Oeste – Anfitriã
Nossa Senhora Auxiliadora                             Rio Verde
São Sebastião                                                 Pedro Gomes
Nossa Senhor da Aparecida                            Sonora
Nossa Senhora da Abadia                               Figueirão
Nossa Senhora de Fátima                               Rio Negro
São José                                                         Catedral – Coxim
São Francisco das Chagas                              Coxim
Nossa Senhora do Perpétuo Socorro              Coxim

A concentração iniciou-se com missa presidida pelo pároco local Pe. Severino Orso, a ora santa – adoração do Santíssimo – benção das fitas dos novos associados presidida pelo Dom Antonino. Irmã Jurema (Perpétuo Socorro) falou sobre as doze promessas e espiritualidades do Coração de Jesus. Dom Antonino nos alertou dos compromissos com doentes, idosos e nos falou sobre o projeto de evangelização da igreja do Brasil, (QJV-CVV 2004-2006) e nos trouxe noticias do secretario nacional do apostolado da Oração Pe Roque Schneider (carta enviada por ele).
Pe Severino convidou cada coordenadora para falar das atividades realizadas no grupo e pelo grupo. As 12:00hs foi oferecido um delicioso almoço, retornando as 14:00 hs com missa festiva presidida por Dom Antonino e concelebrada por Pe Severino, tendo sido animada pelo coral de senhoras, encerrando-se com a coroação do Sagrado Coração por um grupo de meninas.
O apostolado da oração conta com um número de associados que pretendem crescer na fé e compromisso, além disso, tivemos oportunidades de participar de vários eventos tanto a nível diocesano e paroquial, são momentos de ações de graças para todos nós.
Falamos agora do segundo semestre: a coordenação do AO enviou cartinhas “convites” para todos os centros de AO, falando do retiro diocesano e convidando para participar do mesmo em 24 e 26 de setembro de 2004, palestrante do retiro foi Frei Francisco Costella da paróquia Santo Antonio de Goiânia Goiás.
No dia 24 de setembro, iniciou o retiro do AO. Neste três dias foi desenvolvida a seguinte programação religiosa:
Abertura: vídeo – O Amor do Pai – que abriu para reflexões de quatro pontos importantes: 1 o retiro é um tempo precioso – tome assento com Ele e diga: “Fala Senhor que teu servo escuta” (1Sm 3,4); 2 você não tinha direito de existir, mas deus pensou em você! Alegre-se! Louve e agradeça!;3 o percurso humano, fale das alegrias, missão e esperança; 4 Deus em nós – como sentimos a presença de Deus.
Na manha de domingo, refletimos sobre a espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus. Encerramento com Missa.
No mês vocacional, todos os centros do AO, associados comprometidos com a igreja se organizaram, prepararam e rezaram neste mês pelas vocações.
Queremos lembrar que o AO têm pessoas que atuam na pastoral da visitação e pastoral do idoso, catequese e criança.
Na paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro uma associada comemorou com Missa de Ação de Graças e confraternização seu aniversário de 75 anos e bodas de ouro no apostolado.
No dia 24 de outubro do corrente ano se realizou uma tarde de oração na comunidade Nossa Senhora de Fátima, paróquia São Francisco das Chagas, onde os participantes do retiro, repassaram as reflexões do retiro diocesano no Emaús, fez adoração do Santíssimo, rosário missionário e símbolos. Finalizou-se com confraternização ressaltando que este grupo foi oficializado neste ano, no dia 27 de março de 2004 com missa e recepção de fitas.
A coordenação se preocupa e convida todos os grupos a assumirem os encontros nas famílias, a rezarem e refletirem o projeto de evangelização. A nível diocesano nos encontro estão acontecendo e são realizados com fé. O AO está inserido nos trabalhos dentro do projeto com estudo, formação para liderança, visita nas famílias, encontros para reflexões e reza do santo terço. Sabemos que grupos bem fervorosos participam com muita alegria de até quatro encontros por mês.
Em dezembro o AO de São Gabriel irá participar de uma tarde de oração, confraternização e encerramento. Na paróquia Nossa Senhora Auxiliadora foi organizada e realizada uma romaria com iniciativa do grupo.

Pastoral Vocacional Diocesana
Organização
1 – Coordenação diocesana
– Equipe: Pe. Waldemar – assessor; D. Zenaide – coordenadora; Fabrício e outros.
– Não há promotor vocacional liberado.
2 – Planejamento diocesano

§  pequena diretriz

§  fichário dos animadores (as) paroquiais

§  equipe ampliada regional e

§  reuniões periódicas da equipe central

Em preparação

§  Cartas para vocacionados (as)

§  Diretrizes completas do SAV diocesano

§  Relatório do SAV paroquiais

3 – Três etapas:
1. Despertar vocacional – paroquias

§  aberto para todos os jovens

§  ambos os sexos

§  encontro mensal

§  acompanhamento diocesano: cartas, visitas…

2. Discernimento – diocesano

§  agosto

§  acima dos 14 anos

§  acompanhamento

§  seminário acolhe vocacionados de outras paróquias no primeiro sábado mensal.

3. Retiro

§  seminário ou casa das irmãs.

4 – A situação do SAV nas paróquias

§  mais da metade não tem o SAV

§  reuniões mensal com equipe e vocacionados (as)

5 – Promoção

§  cartazes

§  panfletos

§  celebração

6 – Seminário Menor em Coxim

§  fechado em 2005

7 – Algumas ponderações

§  apesar das falhas, o SAV está caminhando, já com alguns bons resultados

§  se o Pe não estiver motivado para o SAV, não vai surgir vocações…

§  se o Pe olhar para a assembléia e não ver nenhum filho (a) na fe, é estéril.

8 – Comunicação

§  2 congresso vocacional do Brasil – 2 a 6 de setembro de 2005- Itaici SP, deve participar o assessor diocesano…

§  todos os anos acontece um encontro vocacional regional (Campo Grande) aberto a todas as paróquias da diocese… (participação da minoria).

Pastoral da juventude

Atividades realizadas:

§  reunião ampliada da PJ nacional em Vitória;

§  torneio da Fraternidade (Coxim);

§  Escola de Coordenadores em quatro etapas com média de 45 participantes e ausência de Figueirão, Costa Rica e Paraíso;

§  Participação da assembléia nacional da PJB em Curitiba;

§  Participação no Fórum estadual da juventude (Campo Grande);

§  Realização do DNJ-2004 com participação de todas as paróquias e discussão sobre o trabalho;

§  Visita as paróquias de Sonora, Alcinópolis, São Gabriel, Camapuã e Coxim;

§  Preparação de roteiros para reuniões;

§  Janeiro- foram enviados 7 roteiros de reuniões;

§  Março – foram enviados livros da CF para jovens com 4 roteiros de reuniões e uma fita da CF;

§  Junho – foram enviados 6 roteiros para reuniões;

§  Setembro – livro em preparação ao DNJ com 4 roteiros de reuniões;
Nós da coordenação diocesana da Pastoral da Juventude da Diocese de Coxim avaliamos que foram positivos os trabalhos no ano de 2004.
De acordo com o que havíamos planejado na última assembléia conseguimos manter uma formação continuada para os coordenadores. Trabalhamos nas Paróquias onde não havia e fortalecer as existentes.
Não conseguimos implantar a coordenação paroquial em todas as paróquias assim como não conseguimos fazer funcionar a coordenação diocesana ampliada.
Quanto a coordenação executiva conseguimos fortalecer os nossos laços objetivos, o que contribui para um bom trabalho. Também ampliamos a mesma com a entrada da Jesika e JEANE DE Coxim. Estamos trabalhando na ampliação e fortalecimento da equipe de assessoria diocesana, que hoje conta com o seminarista Fábio e o Mário Paiva.
Não conseguimos realizar a escola bíblica.
Enviamos material para os grupos durante todo o ano. E esse material não era em nada solto, todos estavam inseridos numa seqüência, assim os grupos tiveram material patra trabalhar durante todo o ano, sem ficar trabalhando temas soltos.
Em relação as finanças conseguimos trabalhar durante o ano sem zerar o caixa, apesar de que algumas paróquias não assumiram a sua contribuição semestral.
No final deste ano temos uma boa visão da situação em que se encontra a PJ em toda a diocese. Temos em média grupos que realizam trabalhos lindos.
Mas ainda é pouco. Podemos fazer muito mais. E para isso precisamos da ajuda de todos, principalmente do padre de cada paróquia, pois ele é quem conhece bem as necessidades de sua paróquia.
Enfim, avançamos em alguns aspectos, mas vamos trabalhar para que em 2005 o saldo positivo seja bem maior.

Catequese
Formações recebidas:
Curso catequese com adultos – março em Campo Grande.
PNE-QVJ para catequistas – julho em Campo Grande.
Encontro de catequistas – fevereiro Emaús Coxim
Duas reuniões a nível regional – CNBB Campo Grande

Formações repassadas:
Paróquias -São João Batista e São Francisco das Chagas – maio
São José e São Sebastião junho
São João Maria Vianey e Nossa Senhora Auxiliadora julho
São Francisco das Chagas e São José agosto
São Sebastião outubro
São Francisco das Chagas, Perpétuo Socorro e Assentamento de Coxim – novembro
A formação consistiu em: Metodologia, espiritualidade, missão e vocação do catequista, catequese com adultos, PNE-QVJ, organização de coordenação paroquial de catequese.
Acontecerá no dia 27/11 reunião ampliada diocesana em Rio Verde e em 30/11 comissão regional em Campo Grande, 11 e 12 de dezembro formação de catequistas na paróquia São Francisco das Chagas.
Estão sendo feitas formações periódicas através da página Entre Catequistas que agora está saindo no boletim Entre Irmãos.
Para 2005 estão programadas formação para catequistas nas paróquias Catedral São José, São Francisco das Chagas e Perpétuo Socorro.

Pastoral da Criança
A Pastoral da Criança está presente nos dez municípios e nas 13 paróquias da diocese.
Este ano comemoram 15 anos de Pastoral da Criança as paróquias de Rio Negro, Rio Verde e Sonora.
Estamos atendendo 40% das crianças pobres, faltam atender mais as comunidades periféricas onde está o maior número de pobreza.
Dias 26 a 28/11 acontecerá a assembléia diocesana da Pastoral da Criança em Coxim, que os párocos ajudem a encaminhar as coordenadoras para esta assembléia para avaliação e planejamento.
A Pastoral da Criança tem uma nova ação a exercer: a Pastoral da Pessoa Idosa (terceira idade), esta pastoral está se iniciando nas paróquias. Já foram feitos varias capacitações, falta somente a paróquia de Alcinópolis. Dra Rosangela Maria Rezende é responsável por estas capacitações nas paróquias.
Outra ação que está em experiência é a pastoral carcerária para as detentas grávidas, no futuro será executado na pastoral onde tiver carcerária feminina.

Pastoral da Visitação
É uma pastoral antiga encontrada em textos bíblicos. Traz a presença da igreja, de Deus para as famílias.
Experiências: visita às famílias, bênçãos de casas e doentes; grupos de reflexão; grupos de oração; visita a doentes; visita a novos moradores; e narrativa do crente.
Dificuldades: os setores onde os grupos não funcionam, ou não funcionam parcialmente em épocas. Grupos sazonais; indiferença/comodismo (quebrar a casca, que não envolve).
Perspectivas: incentivar a animação nos grupos de reflexões, animadores de grupos e interlocutores do ministro.

Pastoral da Saúde Rio Verde
Apenas para dar conhecimento do nosso trabalho da saúde alternativa em Rio Verde, que há 8 anos, funciona nas terças e quintas feiras para atender principalmente os pobres que não tem condições de pagar uma consulta médica. Nosso trabalho é solidário. Atendemos todo tipo de pessoas com problemas depressivos, stres e todo tipo de doença.
Utilizamos no tratamento plantas medicinais, argila, cataplasma e urinoterapia. Nosso objetivo é o da Pastoral da Saúde da CNBB, mas utilizamos o método Bioenergético. No decorrer do ano teremos 4 encontros, sendo um em Curitiba, um em Campo Grande, um em Ivinhema e um em Rio Verde.
Atualmente estamos fazendo reciclagem com a equipe e capacitação de outras pessoas. No trabalho nós vimos resultados eficientes, curas em muitas pessoas com sérios problemas que seguiram corretamente nossas orientações. Sentimos a alegria de pessoas que constataram com exames médicos a cura. Em nosso atendimento individual procuramos levar a esperança e a fé no poder de Jesus e assim, no atendimento, procuramos evangelizar o povo de Deus.

Pastoral da Visitação e acolhida (Rio Negro)
1 – Encontro com a equipe de São Gabriel
2 – Encontro com o pessoal de casa, compareceu uma minoria
3 – Convocação de todos os grupos, com calendário. Três assuntos foram debatidos:

§  apareceram umas 40 pessoas dos grupos resistências

§  sobrecarga de lideranças acaba sem mística e espiritualidade devendo priorizar 1 grupo.

4 Formação para os missionários (as)
estamos na formação…
já temos as divisões de setores da paróquia
pretendemos fazer o envio missionário por ocasião do Advento, começando os trabalhos visitação com as novenas nas famílias.
5 – Grupos que não entrarem na PVA, a paróquia não vai ter nenhum compromisso com eles.

São José
Iniciação Cristã de Adultos
Fizemos convites na Catedral e capelas anotamos nomes e endereços

§  procuramos os introdutores entre pessoas que não estão envolvidos em pastorais ou movimentos. Fizemos uma reunião só com os introdutores. Outra reunião com os postulantes e introdutores;

§  enviamos uma carta a cada 15 dias. Uma reunião por mês. Toda semana há meia hora de estudo da carta entre postulantes e introdutores. Deve-se escolher bem os responsáveis nas comunidades. A família inteira do postulante e introdutor estão se envolvendo. Muitas pessoas estão pedindo para entrar nesta catequese a partir do próximo Pentecostes.

Santas Missões Populares – Costa Rica
Começamos com a formação, depois, aconteceu a pré-missão que foi a primeira visita, depois, a benção nas casas e comércios que foi a segunda visita, também, veio Nossa Senhora de Aparecida do Norte, onde visitou todas as comunidades; houve três celebrações missionárias feita com arrastão.

Infância Missionária – avaliação

§  No dia 15/05/04 aconteceu um encontro de formação na catedral de coxim com a presença de sete paróquias de nossa diocese e o encontro foi assessorado por duas pessoas de Campo Grande.
As paróquias participantes foram: São João Batista (Camapuã), Nossa Senhora Aparecida (Sonora), São José Perpétuo Socorro (Coxim), São Sebastião (Pedro Gomes), Nossa Senhora Auxiliadora (Rio Verde) e Nossa Senhora de Fátima (Rio Negro).

§  Enfraim (Regional) foi em Campo Grande nos dias 13-16/05/04 com participação de três pessoas de nossa diocese, sendo: uma de Camapuã e duas de Sonora.

§  Tivemos também no dia 16/10, formação para os assessores das três paróquias de Coxim, com a presença do seminarista Adão de Campo Grande que assessorou a formação.

No dia 17/10 tivemos na Paróquia Perpetuo Socorro uma gincana donde contamos com a presença dos assessores e das crianças das três paróquias da cidade de Coxim, foi um momento ótimo e único para todos onde tivemos brincadeiras e momento de reflexão e espiritualidade.

§  Devido ao trabalho que vem sendo desenvolvido pela coordenação diocesana em nossa diocese.

Tivemos a iniciação de mais três novos grupos da Infância Missionária que são eles: Nova Coxim – Comunidade Nossa Senhora de Fátima, Mendes Mourão – Comunidade São Pedro, pertencentes à paróquia São José e paróquia São Francisco das Chagas.

§  O curso de Missiologia e Animação Missionária, realizado em Rondonópolis-MT no período de 23-25 de julho 2004, com a participação de três representantes da Diocese.

§  O primeiro Congresso Missionário do Regional Oeste I (CNBB), realizado em Miranda-MS nos períodos de 9-12 de setembro de 2004, onde teve a participação de nove representantes de nossa diocese.

Algumas metas do COMIDI para o ano de 2005:

§  Encontrar e formar pessoas para assumir a estrutura de dimensão missionária;

§  Despertar a vocação missionária das pastorais e moviemtnos;

§  Suscitar pessoas para organização de Dimensão Missionária;

§  Conscientizar os padres para a mentalidade Missionária;

§  Tentar implantar o COMIPAS na diocese;

§  Promover encontros Missionários (como congressos missionários paroquiais ou entre famílias);

§  Formação para agentes missionários;

§  Promover um dialogo trabalho missionário entre pastorais;

§  Fortalecer os grupos de I.M. existentes, e viabilizar a formação de outros em paróquias onde ainda não existem;

§  Realizar ao menos um encontro diocesano reunindo todos os grupos da I.M.;

§  Promover um intercâmbio entre os grupos que já se formaram.

Conselho Diocesano de Leigos

Ações na sociedade:

§  formação para leigos em Coxim tema vocação laical assessor Pe Bento Moreira (secretário CNBB regional maio);

§  encontro de fé e política em São Gabriel D`Oeste. Assessores: Dep. Pedro Kemp e Dep Sérgio Assis, Pe. Emilson José Bento ITEO. Período: junho de 2004.

§  Debate com os candidatos a prefeito e vice de Coxim em conjunto  – Jornal Folha do Pantanal, Coxim News, OAB 9 subseção, Sintede, Rádios e emissoras de Coxim.

§  Previsão para o ano de 2005 formação de lideranças leigas.

Experiência do CPP da paróquia São Francisco das Chagas
Objetivos principais: resgate das justificativas e do plano de ação pastoral-evangelizadora 25/11/2001; Criar e reorganizar os organismos os organismos responsáveis pela articulação da pastoral nas comunidades; criar a identidade paroquial, distinguindo a paróquia como região geográfica e administrativa, e não como uma comunidade central de uma região; gerar lideranças e reforçar as atividades das lideranças já existentes; conscientizar do trabalho articulador das coordenações paroquiais e comunitárias, não como executores dos trabalhos.
Justificativas específicas: a coluna vertebral do plano consiste na formação dos setores nas comunidades. A idéia de que surjam lideranças nos setores; descentralizando muitas ações do centro da comunidade, como Catequese, grupos de Famílias, estas aconteceriam nos setores, sem que haja a necessidade de deslocamentos doa adultos para uma catequese, em que os grupos de famílias seriam formados entre vizinhanças e não com pessoas que moram tão longe umas das outras, como acontece; Nos setores, com um coordenador ou animador e um colaborador, teria maior autonomia, maior facilidade de execução dos trabalhos, acontecendo também a idéia da vivência da vizinhanças, da família; Com cada setor formado e organizado, haverá maior número de grupos de famílias: a catequese de adultos atingirá maior número de pessoas; haverá facilidade de conscientização no tocante ao dízimo e, com um maior número de lideranças atuando, fluirá com maior facilidade as coordenações paroquiais,criando um CPP mais amplo, mais dinâmico, com representantes de todas as pastorais e movimentos.

Paróquia São Sebastião Pedro Gomes
Foi relatado uma experiência, onde o cursilho se dividiu  em grupos, atendendo as comunidades, com o PQVJ, fazendo encontros quinzenais.

PRIORIDADES PARA O ANO DE 2005 ANALIZADAS PELOS GRUPOS
PESSOA
– formação de animadores e lideranças, assim como novas lideranças
– prática da oração
– implantar / implementar / capacitar as pastorais / dízimo / família / acolhida / visitação nas comunidades.
– implantar a pastoral de conjunto

COMUNIDADE
– cursos de formação nas paróquias para as pastorais: acolhida / visitação / dízimo / família / conjunto.
– evangelizar no grupo de trabalho
– formar pequenas comunidades
– priorizar evangelização de adultos
– promover o SAV
– acompanhar a catequese, inclusive com distribuição de materiais às paróquias
– fazer crescer a mística de uma espiritualidade de comunhão
– cuidado com a família, jovem e idoso
– a catequese formular um material comum em âmbito diocesano

SOCIEDADE
– acompanhamento das ações dos políticos nos municípios
– pastoral do migrante
– inserir como prioridade a evangelização nas escolas
– ações de promoção com inserção da igreja na sociedade e na vida política
– meios de comunicação social como veículo de formação e exercício da cidadania
– estimular os MCS, com cursos
– formação de pequenas comunidades, estimulando as CEBs
– implantar o serviço ao migrante nas paróquias
Observações:
Continuidade das prioridades em 2005
– grupos de famílias
– pastoral visitação
Pastoral da Visitação
– formação diocesana e paroquial
– distribuição de subsídios às paróquias
– encontro sobre as missões populares no Regional.
Daher muss meine sprechstunde an diesen hausarbeit schreiben lassen schnell beiden tagen leider ausfallen dort ist auch der download des orientierungsplans mglich.