ESTATUTO DO SEMINÁRIO DIOCESANO

“CRISTO SACERDOTE”


CAPÍTULO I
Denominação e finalidade

Art. 1 – O Seminário Diocesano “Cristo Sacerdote” é um centro de orientação educacional e vocacional de jovens que aspiram à Vida Presbiteral. Destina-se a acolher, orientar e acompanhar vocacionados que desejam dedicar-se ao serviço de Deus no ministério ordenado da Igreja Particular de Coxim.

Art. 2 – O Seminário Diocesano “Cristo Sacerdote” será regido por este Estatuto, pelo Regimento Interno e por um Plano anual de atividades.

CAPÍTULO II

Critérios e requisitos de admissão

Art. 3 – Para admitir candidatos ao Seminário, serão adotados os seguintes critérios:

a) Manifestar intenção reta, e sincero propósito de tornar-se sacerdote diocesano;

b) Sincera disponibilidade em assumir gradativamente as exigências da vida sacerdotal;

c) Vontade incondicional de se colocar a serviço do Reino, a exemplo de Cristo;

d) Experiência nos Grupos vocacionais e de Coroinhas;

e) Idoneidade física, psicológica, intelectual e espiritual;

f) Consentimento da família, apoio da comunidade paroquial e recomendação do Pároco;

g) Ter concluído o Ensino Médio ou cursar o 3º ano.

CAPÍTULO III

Processo formativo

Art. 4 – A formação vocacional visará criar condições e utilizar recursos educacionais para que o candidato abrace, com conhecimento e deliberação livre, um estado de vida mediante uma opção vital e madura. Para tanto, o candidato:

a) Seja incentivado a corresponder com entusiasmo ao chamado de Deus;

b) Use os meios necessários para o fortalecimento do ideal da vocação;

c) Seja ajudado a aceitar com alegria, disponibilidade e corresponsabilidade a disciplina do.

Seminário, como meio para chegar á maturidade e capacidade de renúncia;

d) Busque aconselhamento para superar crises e corrigir os passos errados;

e) Valorize a oração diária para a descoberta da vocação e para a perseverança.

CAPÍTULO IV

Vida Comunitária

Art. 5 – Como preparação a formar o Presbitério Diocesano, os seminaristas:

a) Procurem fazer do Seminário uma verdadeira família, vivendo num clima de.

Fraternidade, harmonia, alegria e respeito mútuo;

b) Mantenham bom relacionamento com a família, junto a qual passarão os dois períodos.

De férias e a Páscoa;

c) Em janeiro de todo ano, haverá uma Semana de convivência, junto com os colegas de.

Campo Grande e de Piracicaba;

d) Se festeje o aniversário do Seminário, convidando os familiares a participar.

CAPÍTULO V

Formação Intelectual

Art. 6 – O seminarista deverá caracterizar-se pelo amor ao estudo, à leitura e a pesquisa, visando o aprimoramento da formação cultural. Por isso, o seminarista:

a) Nunca faltem as aulas;

b) Em casa, não só cuide das tarefas escolares, mas procure aprofundar os assuntos.

estudados, adquirindo o bom hábito da leitura constante.

CAPÍTULO VI

Formação Espiritual

Art. 7 – AS formação espiritual visa levar o seminarista a uma familiar e constante comunhão com Deus. Para tanto haverá momentos fortes de oração diária, encontros com o diretor espiritual e retiros mensais e anuais.

CAPÍTULO VII

Formação pastoral

Art. 8 – A vocação para o sacerdócio inclui o compromisso de serviço à Igreja. Toda a formação do seminário deve visar à formação de pastores do rebanho do Senhor, chamados e enviados a evangelizar. Para isso, as principais atividades dos seminaristas serão:

a) Animação da liturgia no Seminário e na Paróquia;

b) Participação nas atividades pastorais a seu alcance.

Art. 9 – O seminário visitará as Paróquias, para animar a dimensão vocacional.
Once those tools personal computers and pagemaker, initially became available for individuals to do design and layout work, I gravitated into it.