Diretrizes para a Pastoral Vocacional

Diretrizes para a Pastoral Vocacional

1 – “A Pastoral Vocacional tem por objetivos: despertar para a vocação humana, cristã e eclesial; discernir os sinais indicadores do chamado de Deus; cultivar os germes de vocação e acompanhar o processo de opção vocacional consciente e livre. Deve dar ênfase às vocações de especial consagração e. entre elas, particularmente, à vocação ao presbiterato.” (PDV 34 e Doc 55 da CNBB, n. 27).

2 – “A pastoral vocacional exige ser assumida com um novo, vigoroso e mais decidido compromisso por parte de todos os membros da Igreja” (PDV 24).

3 – Cada Paróquia crie uma Equipe de Pastoral Vocacional, animada e assessorada pelo Pároco e integrada por Irmãs e leigos (casais e jovens).

4 – Haverá uma Equipe Diocesana de Pastoral Vocacional, composta de Padres, Religiosas e leigos. A equipe terá um coordenador e um assessor (que participarão da Assembleia Diocesana e do Conselho Diocesano de Pastoral). O coordenador de cada Paróquia integra a Equipe Diocesana.

5 – Cada equipe paroquial de PV organizará grupos vocacionais de jovens de ambos os sexos, os quais deverão reunir-se ao menos uma vez por mês.

6 – Nas reuniões dos grupos vocacionais, haverá momentos de convivência (para facilitar a amizade), de formação (oração, estudo e reflexão) e de compromisso (planejamento e revisão).

7 – A PV diocesana promoverá Encontros Vocacionais seriados e progressivos:

a)      CCV – Cursos de Conscientização Vocacional, para jovens com o Ensino Fundamental completo, que manifestem boa índole e interesse vocacional;

b)      CDV – Curso de Discernimento Vocacional, para jovens que participaram do 1º Encontro;

c)      ROV – Retiro de Opção de vida, para aqueles que participaram dos dois encontros e estão orientados a ingressar no Seminário ou numa Casa Religiosa.

8 – Na PV, tenha-se sempre presente que as vocações têm normalmente sua origem:

– na vida espiritual profunda das famílias;

– nos grupos de jovens, sendo a PJ irmã-gêmea da PV;

– na participação ativa dos jovens nos ministérios da Igreja.

9 – Para o clero Diocesano da Prelazia, procure-se conseguir, todo ano, alguns meninos ingressando no Seminário.

10 – Se procure aumentar a quantidade, sem esquecer de melhorar a qualidade e, por isso, se faça uma criteriosa seleção.

11 – A Equipe Diocesana de PV manterá contato periodicamente com os jovens vocacionados.

Diretrizes para a Pastoral Vocacional

1 – “A Pastoral Vocacional tem por objetivos: despertar para a vocação humana, cristã e eclesial; discernir os sinais indicadores do chamado de Deus; cultivar os germes de vocação e acompanhar o processo de opção vocacional consciente e livre. Deve dar ênfase às vocações de especial consagração e. entre elas, particularmente, à vocação ao presbiterato.” (PDV 34 e Doc 55 da CNBB, n. 27).

2 – “A pastoral vocacional exige ser assumida com um novo, vigoroso e mais decidido compromisso por parte de todos os membros da Igreja” (PDV 24).

3 – Cada Paróquia crie uma Equipe de Pastoral Vocacional, animada e assessorada pelo Pároco e integrada por Irmãs e leigos (casais e jovens).

4 – Haverá uma Equipe Diocesana de Pastoral Vocacional, composta de Padres, Religiosas e leigos. A equipe terá um coordenador e um assessor (que participarão da Assembleia Diocesana e do Conselho Diocesano de Pastoral). O coordenador de cada Paróquia integra a Equipe Diocesana.

5 – Cada equipe paroquial de PV organizará grupos vocacionais de jovens de ambos os sexos, os quais deverão reunir-se ao menos uma vez por mês.

6 – Nas reuniões dos grupos vocacionais, haverá momentos de convivência (para facilitar a amizade), de formação (oração, estudo e reflexão) e de compromisso (planejamento e revisão).

7 – A PV diocesana promoverá Encontros Vocacionais seriados e progressivos:

a)      CCV – Cursos de Conscientização Vocacional, para jovens com o Ensino Fundamental completo, que manifestem boa índole e interesse vocacional;

b)      CDV – Curso de Discernimento Vocacional, para jovens que participaram do 1º Encontro;

c)      ROV – Retiro de Opção de vida, para aqueles que participaram dos dois encontros e estão orientados a ingressar no Seminário ou numa Casa Religiosa.

8 – Na PV, tenha-se sempre presente que as vocações têm normalmente sua origem:

– na vida espiritual profunda das famílias;

– nos grupos de jovens, sendo a PJ irmã-gêmea da PV;

– na participação ativa dos jovens nos ministérios da Igreja.

9 – Para o clero Diocesano da Prelazia, procure-se conseguir, todo ano, alguns meninos ingressando no Seminário.

10 – Se procure aumentar a quantidade, sem esquecer de melhorar a qualidade e, por isso, se faça uma criteriosa seleção.

11 – A Equipe Diocesana de PV manterá contato periodicamente com os jovens vocacionados.
Konzeption und durchfhrung eines wohntrainings zur frderung der selbststndigkeit in www.bachelorschreibenlassen.com/masterarbeit/ alltglichen handlungsfeldern.